Claire Foy Fan

Archive from 'Entrevista'



categorized as: Entrevista, Legends of Tomorrow, Séries de TV posted by Rory novembro 07, 2017

As Lendas irão reunir-se com seu destemido ex-líder durante o episódio de terça-feira de Legends of Tomorrow – e nem todos estarão felizes com isso.

Ao caçar o que ele acredita ser um vampiro viajante do tempo, Rip (Arthur Darvill), engana a equipe para chegar a Londres em 1897 para ajudar. Mas nem todos estarão a bordo com o empréstimo de seu antigo capitão, uma vez que ele basicamente os forçou a se dissolver criando a Agência do Tempo. Como essa reunião temporária se agitará? O EW foi atrás do Darvill para saber.

ENTERTAINMENT WEEKLY: Rip vai se reunir com a equipe esta semana. O que você pode nos dizer?

ARTHUR DARVILL: Então, de uma forma bastante maravilhosa, Rip está em uma caçada de vampiros. Estamos em 1897, o que significa que todos conseguimos vestir roupas realmente ótimas, do que estou muito satisfeito. Então, Rip deixou a Agência do Tempo em uma missão própria, e ele está perseguindo um vampiro, ou o que ele acredita ser um vampiro, e ele percebeu muito rapidamente que ele não pode fazer isso por conta própria, então de uma maneira ligeiramente insalubre, ele atrai as Lendas até ele, e eles tem um pouco de brincadeiras na década de 1890. É bastante surpreendente. É um pouco como um episódio de Sherlock Holmes. Nós fizemos uma cena pulando na parte de trás de um cavalo e carruagem, o que foi maravilhoso, e encontramos um antepassado do Professor Stein (Victor Garber), que é ator. Eu mal posso esperar porque adoro ver Victor interpretando versões diferentes de si mesmo. Ele está entusiasmado com isso, o que eu acho brilhante.

Você twittou uma foto de um Anjo Lamentador à la Doctor Who. Devemos nos preocupar??

Não. Isso foi tão engraçado porque – quando nos encontramos com Rip, nós o encontramos em um cemitério. Eles estão indo tipo filme de terror vitoriano. E sim, estava no cemitério e havia um anjo lamentador atrás de nós, o que é bastante divertido. Eu nem percebi. Não acho que tenham entendido o significado disso, ou talvez estejam só me provocando. Eu não acho que os adereços eles entenderam bem a seqüência de como ele chegou lá, mas isso me fez rir.

Como Rip se sentirá sobre o novo membro da equipe Zari e seus planos para mudar o tempo para melhor??

Eu não acho que ele sabe dessas coisas ainda. Ele está muito na sua própria pista. Há uma coisa que ele descobre, o que é muito importante para ele e ele sente às vezes que ele pode resolver sozinho, e também percebe que ele precisa invocar as Lendas para ajudá-lo, porque a Agência do tempo, tanto como eles são brilhantes, eles fazem as coisas de forma muito oficial para que, na sua opinião, as coisas realmente sejam feitas. Portanto, sua interação com as Lendas no momento é muito como um meio para um fim para ele em termos do que ele está tentando alcançar.

Basicamente, ele precisa deles para cortar a burocracia..

Sim, sim. Eu acho que ele é realmente egoísta, mas acho que ele não percebe o quanto ele é egoísta. Há tensões lá, que não é tipo: “Ei, estamos todos juntos, podemos fazer isso juntos.” É tipo “Eu só vou ligar para você se eu precisar de você.” e eu não sei se isso desce particularmente bem.

Nós sabemos que Damien Darhk estará retornando nesta temporada. Como você acha que a Rip sentiria sobre enfrentá-lo novamente?

Ele, obviamente, sente muito nervoso sobre isso, mas na mente de Rip, há coisas maiores, há peixes maiores para fritar, e sem dar muito longe, sim, a idéia de Damien Darhk voltando e ressuscitado, o que significa que o mais escuro lados de seu personagem apareceriam, porque é o que acontece quando as pessoas são ressuscitadas neste mundo, isso é assustador, mas na mente de Rip, há um inimigo muito maior para se preocupar.


Fonte: EW | Tradução e Adaptação: Arthur Darvill Brasil – Não reproduzir sem os créditos

categorized as: Entrevista, Legends of Tomorrow, Séries de TV posted by Rory setembro 21, 2017

O que vamos ver de Rip nesta temporada em Legends of Tomorrow? – Rosa

Mesmo que Rip tenha criado sua própria Agência do Tempo, ainda não vimos ele trabalhando pela últimas vez com as Lendas, especialmente quando começa a descobrir o mistério que atravessa esta temporada.

“Há uma coisa que ele descobre, o que é muito importante para ele e sente, às vezes, ele pode resolver por conta própria, e também percebe que precisa chamar as Lendas para ajudá-lo. A Agência do Tempo, tanto quanto eles são brilhantes, eles fazem as coisas de forma muito oficial para que, na opinião dele, as coisas realmente sejam feitas. Portanto, sua interação com as Lendas, no momento, é muito como um meio para um fim para ele em termos do que ele está tentando alcançar.” – diz Arthur Darvill.


Fonte: EW | Tradução e Adaptação: Arthur Darvill Brasil – Não reproduzir sem os créditos

categorized as: Destaque, Entrevista, Legends of Tomorrow, Séries de TV posted by Rory junho 13, 2017

Com Arthur Darvill dando um tempo em Legends of Tomorrow para gravar a última temporada de Broadchurch, Rip desapareceu por alguns episódios, apenas para depois retornar com amnésia.

Ele foi brevemente transformado em um vilão pela Legião do Mal, antes de retornar ao lado do bem – apenas para deixar a Waverider e as Lendas para trás.

A boa notícia é que Rip volta para a terceira temporada da série – e o Digital Spy foi o primeiro a receber Darvill para falar sobre o quê vem a seguir.

“Eu não sei o quanto posso dizer – estou definitivamente nisso! E haverá um pouco disso em que eu não estou! Eu sei o que está acontecendo, mas você terá que esperar e ver.

É muito emocionante, o que vai acontecer. Estou muito feliz com o que vimos. Eles são muito bons em nos manter envolvidos na forma como nossas histórias se destacam, então estou muito animado para ver onde vai no futuro. Acho que haverá algumas surpresas para as pessoas!”

Uma sinopse divulgada no mês passado para a nova temporada revelou que a Rip dirigiria uma nova equipe como uma ‘polícia do tempo’, que pode levá-lo a entrar em conflito com as Lendas.

Mas com o personagem entrando e saindo na temporada passada – aparecendo em 11 dos 17 episódios – o que realmente queremos saber é… Darvill será regular este ano?

“Honestamente, eu não sei quantos episódios eu vou participar – Eu ainda não sei ainda. Há um plano. Eles me matariam se eu realmente falasse o quê é plano é, e também, garantido, o plano mudará!”

Legends of Tomorrow retorna na terça-feira, 10 de outubro, na CW


Fonte: Digital Spy
Tradução: Arthur Darvill Brasil – Não reproduzir sem os créditos

categorized as: Destaque, Doctor Who, Entrevista, Séries de TV posted by Rory abril 02, 2017

Rip Hunter é um mestre do tempo, e você já interpretou um companheiro de Senhor do Tempo em Doctor Who – como é que a ficção científica americana e britânica se compara como ator?

Para mim é totalmente diferente, eu não teria feito se fosse repetido. Os personagens são tão diferentes e traz algo novo para o meu repertório. Eu estava obcecado com Star Wars e Indiana Jones, assim que consegui o trabalho [em Legends] em particular, realmente preenche todos os requisitos que o eu de oito anos de idade teria amado.

Você acha que uma pessoa de cor deve interpretar o papel depois de anos de homens brancos?

Eu acho que a grande coisa sobre Doctor Who é que poderia ser qualquer um. É um presente para todo o ator/atriz e eu sei que irá para a melhor pessoa o trabalho, e não importar a idade, raça ou sexo. Eu tenho uma lista na minha cabeça de quem poderia ser, é claro que poderia uma pessoa de cor, por que não?

Eu não acho que as pessoas estão sugerindo que não deva ir para a melhor pessoa para o trabalho, mas que há uma abundância de grandes atores e atrizes de cor que estão sendo ignorados para papéis centrais, como o Doutor. Riz Ahmed acaba de dar um discurso na Câmara dos Comuns sobre a melhoria da representação na tela para as minorias étnicas pode ver pessoas que se parecem com eles em papéis principais…

Sim, eu acho que é uma ótima ideia e acho que isso deve acontecer em todos os lugares para que as pessoas possam se ver refletidas em programas de TV e filmes, e no palco. Você sabe se eles querem fazer isso com o Doutor, será brilhante. Eu não tenho ideia do que eles estão fazendo com ele, mas espero que seja alguém bom.

Talvez Zawe Ashton?

Oh, ela seria brilhante.

Fonte: OK!
Tradução: Arthur Darvill Brasil – Não reproduzir sem os créditos

categorized as: Destaque, Entrevista posted by Rory março 20, 2017

O We Have a Hulk em seu último podcast liberou uma entrevista com Arthur Darvill (29:35 – 49:26).

Confira abaixo:

categorized as: Entrevista, Honeymoon in Vegas, Teatro posted by Rory março 11, 2017

Confira abaixo a entrevista que Arthur Darvill deu para o Mark Shenton, do The Stage, sobre Honeymoon in Vegas

“Fazer um musical adequado é um novo território para mim. Eu fiz uma vez, mas isso é mais como um show e você pode se esconder na frente de uma guitarra e é ser um pouco áspero, enquanto isso tem que ser tão limpo. Mas eu estou realmente amando a experiência e o desafio de fazer isso e encontrando-me é ter que ser muito mais disciplinado do que eu já fui antes, mas também é muito divertido.

O resto do elenco é tão engraçado – Max [Caulfield] é hilariante. Nós não mencionamos isso para ele ainda, mas nós dois simplesmente amamos o Grease 2. Eu vi Grease 2 antes de eu ver Grease – meus pais tinham no vídeo e eu assistia na repetição, e quando eu finalmente vi Grease, eu pensei: ‘Não é tão bom’.”

Sobre teatro musical:

“Quando eu comecei a escrevê-los, eu tinha a arrogância da juventude de nem mesmo querer saber o que mais existe e querendo chegar a ele do meu próprio ponto de vista.”

Ele tinha aparecido no teatro da juventude como Seymour em Little Shop Of Horrors: “essa ainda é minha parte do sonho” – e também em uma produção do ensino médio de West Side Story:

“Foi depois que minha voz tinha falhado e eu era terrível, porque eu ainda estava determinado a cantar todas as notas altas, mas a minha voz ainda não havia se estabelecido. Mas quando eu comecei a escrever minha própria música, tocando guitarra e cantando em bandas, então cantar dessa maneira era algo que eu evitava.

Mas ele está amando agora:

A musicalidade neste é incrível – e hilariante. É um verdadeiro dom. Tanto a atuação é escrita na partitura – musicais te dão formação em tempo, e é uma lição para tirar e passar para outros meios. Mas a partitura também faz aquela coisa que os musicais podem fazer, o que é realmente brincar com gêneros e estilo. É cheio de piadas musicais, que como músico eu acho tão delicioso. Pode ser tão reminiscente de músicas de clubes de jazz, mas então ele vai de repente virar e puxar seu coração emocional com os arranjos de cordas. Ele pode vira-lo em uma ponta de faca – é uma pontuação tão bem trabalhada.”

Fonte: The Satge
Tradução: Arthur Darvill Brasil – Não reproduzir sem os créditos

categorized as: Entrevista, Honeymoon in Vegas, Teatro posted by Rory março 11, 2017

O trabalho de Arthur Darvill vai de programas de TV como Doctor Who, Broadchurch e Legends of Tomorrow para estrelar em Once in the West End e Broadway, além de compor músicas para projetos como a adaptação recente de Fantastic Mr Fox, de Roald Dahl. Este domingo, ele e Samantha Barks lideram a estréia no Reino Unido da lua de mel de Jason Robert Brown em Las Vegas, em uma apresentação especial de concertos com a London Musical Theatre Orchestra.

Você conhecia o show bem antes?

Eu não sabia disso. Eu conhecia partes de outros trabalhos de Jason, e eu tinha escutado várias outras canções – eu nunca tinha visto um musical completo dele antes. Mas eu estava muito animado quando me pediram para fazer isso, e eu absolutamente amei isso desde o momento em que ouvi.

Como você descreveria a música?

Jason é realmente bom em brincar com estilo. Se passa em Vegas e tem esse elemento do razzle-brilho nele. Eu sei que vou explodir em lágrimas quando eu ouvir a orquestra tocando – vai ser corretamente Michael Bublé, comendo o seu coração, coisas grande. Mas há também estas belas baladas, e acima de tudo é realmente muito, muito engraçado – musicalmente e no livro e os personagens.

Conte-nos um pouco sobre o seu personagem

É sobre um casal, e o cara Jack, que eu estou interpretando, teve essa maldição colocada sobre ele por sua mãe para nunca se casar. Sua namorada Betsey está desesperada para se casar, então eles vão para Vegas, mas a maldição o segue – é brilhantemente ridículo.

Na noite em que se casam Jack vai jogar poker e perde muito dinheiro para esse cara que os viu no saguão e acha que Betsey se parece com sua esposa morta, então ele quer atraí-la para casar com ele. Então é uma grande farsa, e esses personagens são maiores do que a vida, quase como muppets – você tem imitadores de Elvis, tubarões de poker e, em seguida, os habitantes desta ilha havaiana.

Como compositor, o que você gosta sobre a partitura?

Eu sou um grande fã de referências musicais, e o trabalho de Jason realmente se transforma em uma faca de ponta – é quase Looney Tunes musicais. Estou aprendendo muito em estar em uma sala com ele e vendo-o conduzir. Estou apenas tentando absorver tudo – ele é um verdadeiro mestre deste tipo de teatro.

Estou espantado com este show que não é mais conhecido. É um golpe de culto na América, e eu estou tão feliz por estar envolvido em dar-lhe uma audiência aqui. Jason foi em uma viagem tão longa para conseguir fazer, e é tão inventivo e brilhante e surpreendente.

Talvez isso inspire uma corrida completa por Londres?

Talvez! Seria ótimo se este fosse início de uma bela viagem por Londres.

É difícil se tornar o seu personagem em tão pouco tempo?

É uma coisa incrível, um pouco de loucura coloca um show juntos em uma semana. Eu tenho sorte que temos um grupo incrível – todos acabam de chegar correndo – então eu tenho fé em nossa empresa.

Também ajuda que Jack é o tipo de personagem onde tudo acontece a ele; Ele é tão inativo. Então tudo o que tenho a fazer é reagir a tudo o que está acontecendo! Ele está totalmente perdido e um idiota confesso – ele não tem idéia de como ele ganhou o coração dessa garota – mas ele definitivamente faz parte desse mundo louco em que eles acabam caindo. Ele está preso em sua própria mente e corpo e por esta maldição.

Você já teve boas notas de Jason?

É tão bom tê-lo por perto. Ele conhece o show de dentro para fora, e as notas que ele dá são tão claras – eles imediatamente desbloquea algo brilhante. Basta vê-lo conduzir, você pode ver que ele tem todo o show em sua cabeça e sabe como deve funcionar, o que significa um pouco de pressão! Eu estou tentando viver de acordo com suas expectativas, e talvez jogar em um par de obstáculos para ele …

Trabalhar com Sam é fantástico também – ela é simplesmente incrível, tanto vocal e age sabiamente, e é muito generosa também. Há uma canção que ela canta, “Anywhere But Here”, que ficou grudada na cabeça. Eu estava cantando no Tubo esta manhã.

Como isso se compara com outros musicais que você fez?

É tão emocionante fazer um grande concerto – isso é uma coisa tão rara – e eu realmente não fiz nenhum grande, mainstream musicais. Eu estava em Once e eu escrevi música, mas eu sou mais do que o cantor-compositor de fundo. Assim, além de shows na escola, eu nunca me vi realmente como um artista de teatro musical. Estou realmente me divertindo com o desafio.

Gostaria de tentar mais musicais no futuro?

Eu me lembro de fazer Little Shop of Horrors quando eu tinha 13 anos e pensava sorrateiramente que eu gostaria muito de estar em musicais. Eu tenho tido muita sorte na minha carreira até agora – eu tive a chance de fazer tantos tipos diferentes de trabalho. Eu sempre pensei que eu estaria fazendo teatro clássico – isso é o que eu queria quando comecei e quando fui para a escola de teatro. Eu amei o teatro e ir assistir a peças que me mudaram e mudou a minha maneira de pensar sobre coisas.

Então, fazer TV e coisas assim, foi realmente um bônus. Essa variedade foi brilhante. Eu definitivamente nunca iria governar nada.

Como é trabalhar com a London Musical Theatre Orchestra?

Eu te digo, eu amo uma orquestra. Estranhamente, a minha parte favorita dos concertos mais clássicos é ouvir a sintonia da orquestra – é como entrar num jogo de futebol e ouvir a multidão antes do início do jogo. Essa expectativa me deixa realmente emocional – então se você me ver chorando no domingo, é por isso!

Você já ouviu outros cantores para conseguir esse estilo de swing, como Sinatra?

Talvez eu devesse colocar algum Frank no fim de semana e absorver isso. Estamos fazendo isso em tuxes, no Palladium, que é simplesmente incrível, então isso deve nos deixar no clima.

Finalmente, você está satisfeito com a resposta à nova temporada de Broadchurch?

Ainda não vi nada disso, mas estou tão feliz por fazer parte disso. É um programa incrível, estou muito orgulhoso do trabalho que todos fizeram, e tem sido uma família como nos últimos quatro ou cinco anos – todos nós continuamos voltando para ele por causa disso. Esta série não fica menos perturbadora, então peço desculpas…

Os amigos e a família incomodam você por spoilers?

Eles principalmente não sabem, e eu não assisto com eles – eu não consigo ver-me com mais ninguém na sala. Embora meus pais muito entusiasmados estão sempre tentando obter informações de mim!

Fonte: Broadway World
Tradução: Arthur Darvill Brasil – Não reproduzir sem os créditos

categorized as: Entrevista, Legends of Tomorrow, Séries de TV posted by Rory fevereiro 24, 2017

Com Rip presumivelmente fazendo parte da equipe novamente após o próximo episódio de Legends of Tomorrow, quando podemos esperar a questão de quem vai ser capitão? – BearSpeak

Mesmo que Rip esteja de volta no Waverider, isso não significa que eles possam realmente trazer de volta o velho Rip – e mesmo que pudessem, a equipe nunca poderá confiar plenamente nele novamente.

Caity Lotz: “Na minha cabeça, Rip fez um monte de coisas para Sara que ela não gostava. Ela já tem um relacionamento de amor e ódio com ele. Ela o ama, mas ela o odeia e isso é uma coisa difícil de perdoar. Sara não é uma santa.

Fonte: EW
Tradução: Arthur Darvill Brasil – Não reproduzir sem os créditos

categorized as: Entrevista, Legends of Tomorrow posted by Rory novembro 23, 2016

Fãs de Legends of Tomorrow ficaram sem saber o motivo do sumiço de Rip Hunter ter desaparecido da série.

O personagem de Arthur Darvill foi tirado da série no primeiro episódio da segunda temporada, em uma complicada missão envolvendo viagem no tempo e bomba nuclear.

Qual o motivo de um dos personagens principais sair da série? Ele vai voltar? Digital Spy tem as respostas…

Acontece que Arthur Darvill tirou um tempo de Legends of Tomorrow, assim ele poderia reprisar seu papel como Rev. Paul Coates na terceira (e última) temporada de Broadchurch.

“Eles foram muito gentis em Legends – Broadchurch é algo que está acontecendo há algum tempo, então eles tiveram que contornar isso”, ele nos disse. “Fiquei tão feliz por terminar essa viagem em Broadchurch.”

E Rip Hunter vai voltar?

“Sim, eu vou voltar, de algum jeito para Legends of Tomorrow… mas eu não posso fala sobre isso! Eu sempre trabalho em séries que não é permitido fala sobre…”

Fonte: Digital Spy
Tradução: Arthur Darvill Brasil – Não reproduzir sem os créditos

categorized as: Broadchurch, Entrevista, Séries de TV posted by Rory novembro 22, 2016

Arthur Darvill, que retorna como o Rev. Paul Coates, disse ao Digital Spy que a terceira (e última) temporada de Broadchurch (da ITV) é mais parecido com os episódios originais.

“Essa temporada, acho que vai ser brilhante,” ele disse. “Não sei muito sobre isso, mas o assunto matéria é realmente pesado.”

“Adorei a segunda temporada de Broadchurch – acho que foi realmente necessário contar essa parte da história – mas acho que esta temporada tem mais a sensação da primeira temporada.”

Darvill disse que ele estava “dentro e fora” das filmagens de verão do show, então você pode esperar que ele “apareça … de vez em quando.”

O ator teve que tirar um tempo de seu outro show, Legends of Tomorrow, para reprisar seu papel como Rev. Paul.

“Eles foram muito gentis em Legends – Broadchurch é algo que está acontecendo há algum tempo, então eles tiveram que contornar isso”, ele nos disse. “Fiquei tão feliz por terminar essa viagem em Broadchurch.”

Fonte: Digital Spy
Tradução: Arthur Darvill Brasil – Não reproduzir sem os créditos